Main Article Content

Resumo

A pesquisa realizada teve como foco o estudo das áreas de mata ciliar no entorno do Rio Paraíba do Sul no município de Campos dos Goytacazes – RJ. Foi seguido o novo Código Florestal (Lei nº 12.651/2012) para a delimitação das margens dos cursos d’água para Áreas de Preservação Permanente (APPs). O objetivo da pesquisa foi verificar a situação atual dessas áreas à luz da legislação pertinente, tendo como parâmetro a disponibilidade de água em quantidade e qualidade. Quanto à metodologia foram realizadas as seguintes etapas: coleta de dados bibliográficos e documentais, como artigos, mapas, leis, imagens de satélite; revisão bibliográfica; quantificação das APPs; elaboração de gráficos; geração de mapa. Espera-se com esta pesquisa disponibilizar dados para contribuir com o planejamento e a gestão de recursos hídricos da região, garantindo assim a preservação das matas ciliares e o acesso aos diferentes usos da água. Verificou-se no estudo um grande distanciamento da quantidade de mata ciliar existente nas margens do rio Paraíba do Sul no município de Campos dos Goytacazes (apenas 9,20%), e a quantidade exigida pela lei federal. É necessário que se busquem medidas sustentáveis para a solução do problema do conflito entre as atividades agropecuárias e as necessidades ambientais regulamentadas em lei.

Palavras-chave

Recursos Hídricos Mata Ciliar Código Florestal APPs

Article Details

Como Citar
Chrispim, Z. M., de Oliveira, C. P., Lacerda, J., & Araújo, R. de S. (2020). Estudo das áreas de proteção permanente do rio Paraíba do Sul no município de Campos dos Goytacazes - RJ. Exatas & Engenharias, 10(28), 79-93. https://doi.org/10.25242/885X102820202006

Referências

  1. ALVES, M.G.; COSTA, A.N.; POLIVANOV, H.; JUNIOR, G.C.S.; COSTA, M.C.O. Qualidade das águas de poços rasos provenientes de áreas urbanas e rurais de Campos dos Goytacazes-RJ. Revista Águas Subterrâneas, 2010. Disponível em: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/22944/15081. Acesso em: 24.03.2020.
  2. ARAUJO, R. S; ALVES, M.G; CONDESSO DE MELO, M. T.; CHRISPIM, Z.M.P.; MENDES, M. P; SILVA JÚNIOR, G.C. Water resource management: A comparative evaluation of Brazil, Rio de Janeiro, the European Union, and Portugal. Science of the Total Environment, v. 511, p. 815-828, 2015. DOI: j.scitotenv.2014.11.098.
  3. ARAÚJO, R.S; PINHEIRO, J.B.; NUMES, I.N.; RANGEL, C.F.R.; CHRISPIM, Z.M.P. Execução de plano diretor: o caso de Campos dos Goytacazes 2008-2018. Pespectivas Online: Humanas e Sociais Aplicadas, v.9, n.26, p.141-162, 2019. DOI: 10.25242/8876926201897
  4. BRAGA, B., HESPANHOL, I., CONEJO, J.G.L., MIERZWA, J.C., BARROS, M.T.L., SPENCER, M., PORTO, M., NUCCI, N., NUESA, J., e EIGER, S. Introdução à engenharia ambiental. 2. ed., 9ª Reimpressão. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012. ISBN: 978-85-7605-041-4.
  5. BRASIL. Lei Nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Código Florestal Brasileiro. Disponível em: http://www.jusbrasil.com. br/legislacao/1032082/lei-12651-12. Acesso: 22/04/19.
  6. CAMPOS DOS GOYTACAZES. Lei Complentar nº 0015, de 07 de janeiro de 2020. Institui o Plano Diretor do Município de Campos dos Goytacazes e dá outras providências. Campos dos Goytacazes: Câmara Municipal, 2020.
  7. CASTRO, D.; MELLO, R.S.P.; POESTER, G.C. (Org.). Práticas para restauração da mata ciliar. Porto Alegre: Catarse - Coletivo de Comunicação, 2012.
  8. CHRISPIM, Z.M.P. Análise da vulnerabilidade e caracterização hidrogeoquímica dos aquíferos livres rasos da parte emersa da bacia sedimentar de Campos. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – UENF, CCT, LECIV. Campos dos Goytacazes: 2016.
  9. CHRISPIM, Z.M.P.; RAMOS, I.; FERREIRA, H.G.; ALVES, M.G. Análise da vulnerabilidade dos aquíferos rasos do Município de Campos dos Goytacazes/RJ através da metodologia GOD. Revista Perspectivas Online: Exatas e Engenharias – Anais do VI CICC, V. 08, Nº 22, Suplemento, 2018.
  10. EEA – EUROPEAN ENVIRONMENT AGENCY. Forest dynamics in Europe and their ecological consequences. Published 27 Nov. 2018. Disponível em: https://www.eea.europa.eu/themes/biodiversity/forests. Acesso em: 07/06/2020.
  11. GRAZIANO NETO, F. Apresentação. In: Cadernos da mata ciliar. Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Departamento de Proteção da Biodiversidade. Nº 1 (2009). São Paulo: SMA, 2009.
  12. LACERDA, J. S.; COUTO, H. T. Z.; HIROTA, M.M.; PASISHNYK, N.; POLIZEL, J. L. Estimativa da biomassa e carbono em áreas restauradas com plantio de essências nativas. METRVM, n.5/novembro/2009. ESALQ, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP Disponível em: http://cmq.esalq.usp.br/wiki/doku.php?id=publico:metrvm:start. Acesso em: 05/06/2020.
  13. LAWRENCE, Deborah; VANDECAR, Karen. Effects of tropical deforestation on climate and agriculture. Nature climate change, v. 5, n. 1, p. 27-36, 2015. DOI: 10.1038/NCLIMATE2430
  14. MATHER, A. S. The transition from deforestation to reforestation in Europe. In: ANGELSEN, A.; KAIMOWITZ, D. (eds). Agricultural technologies and tropical deforestation. CAB International, Wallingford, United Kingdom, 2001.
  15. MEDEIROS, J.D. A demarcação de áreas de preservação permanente ao longo dos rios. Biotemas, v. 26, n. 2, p. 261-270, 2013. DOI: 10.5007/2175-7925.2013v26n2p261.
  16. MOREIRA, G. Dia Mundial da Água 2019 – “Não deixar ninguém para trás”. Disponível em: https://nacoesunidas.org/artigo-dia-mundial-da-agua-2019-nao-deixar-ninguem-para-tras/ Acesso: 22/04/2019.
  17. MOSS, M. Água e floresta: um círculo virtuoso de cooperação. In: Água e cooperação: reflexões, experiências e alianças em favor da vida. Sérgio Ribeiro, Vera Catalão e Bené Fonteles (organizadores); [tradução oller Ibañez]. Brasília: Ararazul - Organização para a Paz Mundial, 2014.
  18. PARREIRAS, H. Devastação das matas ciliares em Minas é ameaça de proporções desconhecidas. Jornal Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, 05/06/2016. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/06/05/interna_gerais,769450/devastacao-das-matas-ciliares-em-minas-e-ameaca-de-proporcoes-desconhe.shtml. Acesso em: 04/06/2020.
  19. RIEBEEK, H. The carbon cycle. Earth Observatory – NASA, June 16, 2011. Disponível em: https://earthobservatory.nasa.gov/features/CarbonCycle. Acesso em: 05/06/2020.
  20. SILVA, José Afonso da. Direito urbanístico brasileiro. 7. ed., 2. tir. São Paulo: Malheiros Editores, 2015.
  21. SOUZA, F.P.; PERTEL, M. Complexidades para a aplicação dos aspectos normativos para a gestão de recursos hídricos no Brasil. Perspectivas Online: Exatas & Engenharia, v.10, n.27, p.70 - 82, 2020. DOI: 10.25242/885X102720201747
  22. ZAKIA, M. J. B. Identificação e caracterização da zona ripária em uma subbacia experimental: implicações no manejo de bacias hidrográficas e na recomposição de florestas. Tese (Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Universidade Paulista, São Carlos SP. 1998.