Main Article Content

Resumo

Para a realização do controle estatístico do processo são utilizadas várias ferramentas, dentre elas a análise da capacidade. Este é um método que tem o objetivo de verificar se um processo é considerado estatisticamente capaz de atender as especificações do cliente e se está atuando dentro das especificações ideais projetadas. Diante desta premissa, o estudo realizado em uma indústria alimentícia, teve como foco específico analisar e verificar as principais causas de variabilidade do peso de embalagens  de lingüiça toscana por meio de gráficos de controle e cálculo da capacidade do processo. Para tanto, foram pesadas sessenta e seis embalagens de 1 kg. Verificou-se que o índice de capacidade Cpk, está acima de um, o que classifica o processo como razoavelmente capaz.

Article Details

Biografia do Autor

Thiago Correa Leite, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Coordenação de Engenharia de Produção

Cidmar Ortiz dos Santos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Coordenação de Engenharia de Produção

José Airton Azevedo dos Santos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Coordenação de Engenharia de Produção

Carla Adriana Pizarro Schmidt, Coordenação de Engenharia de Produção

Coordenação de Engenharia de Produção
Como Citar
Leite, T. C., dos Santos, C. O., dos Santos, J. A. A., & Schmidt, C. A. P. (2017). ANÁLISE DE CAPACIDADE DO PROCESSO DE PESAGEM DE LINGÜIÇA TOSCANA EM UMA INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA. Perspectivas Online: Exatas & Engenharias, 7(19). https://doi.org/10.25242/885X7192017958

Referências

  1. ALENCAR, J.; LOPES, C. E.; SOUZA, M. Monitoramento do processo de compressão de comprimidos de captopril utilizando controle estatístico de processo. Rev. Bras. Farm, 2007.
  2. CARVALHO, M. M. Selecionando projetos seis sigma. In: ROTONDARO, R. G. Seis Sigma: Estratégia gerencial para a melhoria de processos, produtos e serviços. São Paulo: Atlas, 2013.
  3. COSTA, Antonio Fernando Branco; EPPRECHT, Eugenio Kahn; CARPINETTI, Luiz Cesar Ribeiro. Controle estatístico de qualidade. 2. ed. São Paulo: Atlas, 334 p., 2010.
  4. GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, 2002.
  5. JURAN, Joseph M.. Juran planejando para a qualidade. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1993.
  6. MONTGOMERY, D. C. Introduction to statistical quality control. 4ª Ed. New York: John Wiley, 2001.
  7. OLIVEIRA, T. S.; LIMA, R. H. P. Aplicação do controle estatístico de processo na mensuração da variabilidade em uma usina de etanol. INGEPRO, v. 3, n. 6, 2011.
  8. OLIVEIRA, C. C.; GRANATO, D.; CARUSO, M. S. F.; SAKUMA, A. M. Manual para elaboração de cartas de controle para monitoramento de processos de medição quantitativo em laboratório de ensaios. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2013.
  9. PIMENTEL GOMES, F. Curso de estatística experimental. Piracicaba: Degaspari, 2000.
  10. RAMOS, A. W. Mantendo o processo sob controle. In: ROTONDARO, R. G. Seis Sigma: Estratégia gerencial para a melhoria de processos, produtos e serviços. São Paulo: Atlas, 2013.
  11. SILVA, C. R.; KLIDZIO, R.; ANTONELLO, N. R. B. Aplicação de Controle Estatístico de Processos (CEP) para avaliar o processo de defumação do salame. In.: XXVIII ENEGEP, Rio de Janeiro, 2008
  12. TERRA, N. N. Apontamentos de tecnologia de carnes. São Leopoldo: Editora Unisinos, 218p., 2000.
  13. YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2013.