Main Article Content

Resumo

Objetivo: avaliar a intervenção de um serviço de atenção psicossocial em álcool e outras drogas. Métodos: estudo do tipo qualitativo no Núcleo de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas no município de Santo André do Estado de São Paulo e procedeu-se à coleta de dados mediante observação participativa e grupo focal com familiares, usuários e profissionais; com análise pelo método hermenêutico-dialético. Resultados: as categorias encontradas foram: o cotidiano do serviço; a interferência da estrutura no processo de trabalho; o processo de trabalho; projeto terapêutico singular; e avaliação das atividades. Conclusão: a intervenção oferecida promove melhor qualidade de vida aos usuários, porém há necessidade de mudanças nos projetos terapêuticos singulares e no processo de trabalho, que interferem negativamente no cuidado integral e no tratamento.

Palavras-chave

Avaliação Saúde Mental Gestão de Qualidade

Article Details

Biografia do Autor

Thaís Yshida Cestari Lockley, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (2013). Especialista em Dependência Química pela UNIFESP e especialista em urgência e emergência pela FMU. Cursando Mestrado Acadêmico pela Universidade de São Paulo (USP) em Saúde Mental e Psiquiátrica - defesa no 2º semestre de 2018. Membro do Grupo de Pesquisa em Álcool e outras Drogas (GEAD/USP). Atualmente é enfermeira da saúde mental e psiquiátrica do Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde - enfermeira responsável técnica (RT) do CAPS Adulto III Sé. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Psiquiátrica, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação, gestão de qualidade, serviços comunitários de saúde mental, enfermagem e pessoal de saúde.

Ricardo Henrique Soares, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Doutor e Mestre em Ciências - Área de Concentração: Cuidado em Saúde, pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Psicólogo pela Universidade Cruzeiro do Sul. Especialista em Psicologia Clínica pelo Conselho Regional de Psicologia - Seção São Paulo. Bacharel em Direito pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas. Atualmente é servidor público do Tribunal de Justiça de São Paulo e integra o Grupo de Estudos em Álcool e Drogas, realizando pesquisas, entre outras, acerca do projeto intitulado "Avaliação global das necessidades individuais de usuários e dos serviços de álcool e outras drogas".

Maria Odete Pereira, Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais

Graduação em Enfermagem pela Universidade de Taubaté (1985); Mestrado em Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas (2003) e Doutorado sandwich em Ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, com estágio sandwich sob a orientação do sociólogo Boaventura de Sousa Santos, no Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra ? Portugal (2009). Fez estágio no Consultório de Rua do Centro de Referência e Estudos de Terapias de Drogas - CETAD /UFBA ? BA. Fez estágio de pós-doutorado do PNPD/CAPES, na Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (2010 - 2014). Docente da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais. Líder do grupo de pesquisa em políticas e práticas em saúde mental, drogas e direitos humanos. Membro do Grupo de Estudos em Álcool e Outras drogas - GEAD/EEUSP. Membro do Capitulo brasileiro da International Nurses Society on Addictions (IntNSAT). Membro do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental da Associação Brasileira de Enfermagem - ABEN. Membro do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental da Associação Brasileira de Enfermagem - Seção Minas Gerais. Seus interesses de pesquisa envolvem: políticas públicas e práticas em saúde mental, álcool e outras drogas e direitos humanos; sobrecarga de trabalhadores e pesquisa avaliativa em saúde mental e álcool - outras drogas, no âmbito dos componentes da rede de atenção psicossocial.

Andrea Domanico, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Paulista (1990), mestrado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000), doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2006), e pós doutorado pela Universidade de São Paulo (2017). Atualmente é membro de grupo de estudos em álcool e outras drogas (GEAD-USP). Tem experiência na área de Saúde Coletiva, gestão com ênfase em Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia geral, social e clinica, redução de danos, aids, hepatites virais, tuberculose, prevenção, drogas.

Márcia Aparecida Ferreira Oliveira, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Possui graduação em Licenciatura em Ciências pela Universidade Católica de Santos (1980), graduação em Enfermagem - Don Domênico (1982), mestrado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1994), doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000) e Pós-Doutorado no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, em Portugal (2008). Atualmente, é Professora Associada - Livre Docente da Universidade de São Paulo, no Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde Mental, atuando nos seguintes temas: saúde mental, campo psicossocial, enfermagem em saúde mental, álcool e outras drogas. É líder do Grupo de Estudos em Álcool e Outras Drogas e membro do grupo de pesquisa Enfermagem e as Políticas da Saúde Mental, cadastrados no CNPq.
Como Citar
Lockley, T. Y. C., Soares, R. H., Pereira, M. O., Domanico, A., & Oliveira, M. A. F. (2019). AVALIAÇÃO DA INTERVENÇÃO PSICOSSOCIAL EM ÁLCOOL E DROGAS. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 9(24). https://doi.org/10.25242/887692420191394

Referências

  1. BRASIL. Portaria n. 336, de 19 de fevereiro de 2002. Dispõe sobre os Centros de Atenção Psicossoal. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002.html
  2. BRASIL. Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2007. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/pnass.pdf
  3. BRASIL. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2011. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_matriciamento_saudemental.pdf
  4. BRASIL. A política do Ministério da Saúde para atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: https://www.unodc.org/pdf/brazil/polit_ms_acool_e_drogas.pdf
  5. CAMATTA, M.W.; NASI, C.; ADAMOLI, A.N.; KANTORSKI, L.P.; SCHNEIDER, J.F. Avaliação de um centro de atenção psicossocial: o olhar da família. Ciência e Saúde Coletiva, v.16, n.11, p.4405-4414, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n11/a13v16n11.pdf
  6. COSTA, P.H.A.; COLUGNATI, F.A.B.; RONZANI, T.M. Avaliação de serviços em saúde mental no Brasil: revisão sistemática da literatura. Ciência e saúde coletiva, v.20, n.10, p.3243-3253, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232015001003243&script=sci_abstract&tlng=pt
  7. DALL'AGNOL, C.M.; TRENCH, M.H. Grupos focais como estratégia metodológica em pesquisas na enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, v.20, n.1, p.5-25, 1999. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/viewFile/4218/2228
  8. DESLANDES, S.F. Concepções em pesquisa social: articulações com o campo da avaliação em serviços de saúde. Cadernos de Saúde Pública, v.3, n.1, p.103-137, 1997. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X1997000100020&script=sci_arttext&tlng=em
  9. GONÇALVES, R.M.A. et al. Estudo do trabalho em Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v.40, n.131, p.59-74, 2015. Disponível em: http://observatorio.fm.usp.br/handle/OPI/12971
  10. HORI, A.A.; NASCIMENTO, A.F. O Projeto Terapêutico Singular e as práticas de saúde mental nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) em Guarulhos (SP), Brasil. Ciência e saúde coletiva, v.19, n.8, p.3561-3571, 2014. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232014000803561&script=sci_arttext&tlng=em
  11. LEÃO, L.H.C.; GOMEZ, C.M. A questão da saúde mental na vigilância em saúde do trabalhador. Ciência saúde coletiva, v.19, n.12, p.4649-4658, 2014. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/v19n12/pt_1413-8123-csc-19-12-04649.pdf
  12. MARQUES, J.B. et al. Contribuições da Equipe Multiprofissional de Saúde da Família (PSF): uma atualização da literatura. Revista Baiana de Saúde Publica, v.31, n.2, p.246-255, 2007. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0021.pdf#page=54
  13. MINAYO, M.C. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8.ed., São Paulo: Hucitec, 2004.
  14. Oliveira MAF, et al. Processos de avaliação de serviços de saúde mental: uma revisão integrativa. Saúde em debate, v.38, n.101, p. 368-378, 2014. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sdeb/2014.v38n101/368-378/pt/
  15. PINTO, D,M.; PINTO, A.G.; CAVALCANTE, C.M. Projeto terapêutico singular na produção do cuidado integral: uma construção coletiva. Texto e Contexto – Enfermagem, v.20, n.3, p.293-302, 2011. Dispoinível em: http://www.redalyc.org/html/714/71421157010/
  16. ROCHA, R.M. O enfermeiro na equipe interdisciplinar do centro e atenção psicossocial e as possibilidades de cuidar. Texto e Contexto – Enfermagem, v.14, n.3, p.305-357, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v14n3/v14n3a05
  17. SARACENO, B.; FRATTURA, L.; BERTOLOTE, J.M. Evaluation of psychiatric services: hard and soft indicators in innovative approaches in service evaluation: consumer contribution to qualitative evaluation-soft indicators, Geneva: WHO/MND/93.19, 1993.
  18. SCHRANK, G.; OLSCHOWSKY, A. O centro de atenção psicossocial e as estratégias para inserção da família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v.42, n.1, p.127-34, 2008. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/reeusp/article/view/41715
  19. SILVA, A.L.; GUILHERME, M.; ROCHA, S.S.; SILVA, M.J. Comunicação e enfermagem em saúde mental: reflexões teóricas. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.8, n.5, p.65-70, 2000. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rlae/article/view/1500
  20. STEFANELLI, M.C.; FUKUDA, I.M.; ARANTES, E.C. Enfermagem psiquiátrica em suas dimensões assistenciais, São Paulo: Manole, 2008.
  21. WETZEL, C.; KANTORSKI, L.P. Avaliação de serviços em saúde mental no contexto da reforma psiquiátrica. Texto e Contexto – Enfermagem, v.13, n.4, p.543-548, 2004. Dispinível em: http://www.redalyc.org/html/714/71413412/