Main Article Content

Resumo

O presente estudo propõe-se refletir a respeito da relação dos aspectos entre trabalho offshore e o alcoolismo através da experiência do trabalhador. Em função da relevância deste ramo de trabalho na cidade de Campos dos Goytacazes e da carência de mais estudos nessa direção, pode-se afirmar a importância desta pesquisa. Para a elaboração deste estudo, utilizou-se a pesquisa bibliográfica e a pesquisa de campo com a realização de entrevista semiestruturada. A investigação foi realizada tem como público alvo os trabalhadores offshore que se reconhecem a experiência com o uso abusivo de álcool. Alcançou-se que este seguimento laboral é marcado por condições específicas de trabalho que podem colocar o indivíduo a uma situação de vulnerabilidade ao consumo nocivo de álcool. Os discursos dos entrevistados apontaram o setor offshore como um elemento potencializador ao aumento da ingestão de álcool. Diante do confinamento e outros elementos estressores desta atividade de trabalho, o álcool pôde parecer ao indivíduo como uma forma de aliviar as tensões.

Palavras-chave

trabalho offshore alcoolismo saúde do trabalhador

Article Details

Como Citar
de Souza, J. C. R. F. S., de Andrade, E. H. R., & Constantino, P. (2022). O consumo de álcool por trabalhadores embarcados. Humanas Sociais & Aplicadas, 12(35), 38-56. https://doi.org/10.25242/8876123520222013

Referências

  1. ANTONIOLLI, C.A.S; EMMEL, S.V; FERREIRA, G.E; PAZ, P.O; KAISER, D.E. Trabalho offshore e a atuação do enfermeiro embarcado: uma revisão integrativa. Rev Esc Enferm USP · 2015; 49(4):689-69.
  2. BRITES, R. M. R & ABREU, A.M.M de. Padrão de consumo de bebidas alcoólicas entre os trabalhadores e perfil socioeconômico. Acta paul. enferm. [online]. 2014, vol.27, n.2, pp.93-99. ISSN 1982-0194. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201400018.
  3. CARVALHO, M.M. Vida e trabalho de marítimos embarcados do setor offshore.74. [Dissertação] FIOCRUZ – Fundação Oswaldo Cruz– Rio de Janeiro: s.n., 2010.
  4. CEBRID – Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas – Departamento de Psicologia – Livreto informativo sobre drogas psicotrópicas, leitura recomendada para alunos a partir da 6ª série do ensino fundamental. UNIFESP, boletim 64-65, 2010
  5. COSTA, W. R. da, BELO, R. P., SALES, M. dos S., SALES, I. de C., & RODRIGUES, P. N. de V. (2018). Trabalho Noturno: seus efeitos na saúde dos trabalhadores da área de saúde na cidade de Parnaíba-PI . Humanas & Sociais Aplicadas, 8(21). https://doi.org/10.25242/887682120181288
  6. FIGUEIREDO, M.G Trabalho, saúde e ação sindical na atividade petrolífera offshore da bacia de Campos. Revista Ciências do Trabalho – nº4. ISSN 2319-0574. p 67-87. 2015.
  7. HECKMANN, W; SILVEIRA, C.M. Dependência do álcool: aspectos clínicos e diagnósticos. In: Andrade AG, Anthony JC, Silveira CM. Álcool e suas consequências: uma abordagem Multiconceitual. Barueri (SP):Minha Editora; 2009. 67-87.
  8. LOPES, A.P.A.T; GANASSIN, G.S; MARCON, S.S & DECESARO, M.N. Abuso de bebida alcoólica e sua relação no contexto familiar. Estudos de Psicologia. 2015. 20(1): 22-30. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26142192004.
  9. LOPES, M. Uso de álcool, estresse no trabalho e fatores associados entre servidores técnico-administrativos de uma universidade pública [dissertação]. Ribeirão Preto, SP: Universidade de São Paulo; 2011.
  10. MADERS, T.R. & COUTINHO, M.C. Sentidos de tempo livre para trabalhadores offshore. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2017, vol.34, n.1, pp.53-62. ISSN 1982-0275. http://dx.doi.org/10.1590/1982-02752017000100006.
  11. MOREIRA, I.G; FERREIRA, A. S; NASCIMENTO, D.C.O. Análise da qualidade de vida no trabalho offshore em empresas de Macaé e Rio das ostras. In. 13º CONVIBRA -ADMINISTRAÇÃO. 2016
  12. REQUIÃO, D. H. O uso, abuso ou dependência de álcool. Coleção Agrinho 2014. p. 329-355.
  13. SILVA, C.M Causas de sofrimento no trabalho em uma organização bancária 2016. 49. (monografia). Universidade de Brasília – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Administração. Brasília (DF).
  14. SILVA, V.X; LUZ, H.H.V As implicações do alcoolismo na vida social e familiar do indivíduo dependente. 2015 Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto do Itajaí – UNIDAVI. p 15.
  15. SPAGNOL, C.A. SANTIAGO, G.R. CAMPOS, B.M BADARÓ, M.T. VIEIRA, J.S. SILVEIRA, A.P.O. Situações de conflito vivenciadas no contexto hospitalar: a visão dos técnicos e auxiliares de enfermagem. Rev. esc. enferm. USP vol.44 no.3 São Paulo Sept. 2010 http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300036
  16. TARGUETA, S. B. de J., SOARES, A. P. de F., NASCIMENTO, J. R. do, da HORA, H. R. M., & COSTA, H. G. (2014). Requisitos das normas de um SGI versus Requisitos dos clientes: Um estudo de caso em uma empresa do ramo offshore. Humanas & Sociais Aplicadas, 4(9). https://doi.org/10.25242/887649201444
  17. VIDAL, J.M. Saúde e padrão de consumo de álcool em trabalhadores offshore. Universidade Federal do Rio de Janeiro – Escola de Enfermagem Anna Nery. [dissertação]. Rio de Janeiro, (RJ) 2014.
  18. VIDAL, J.M; ABREU, A.M. & PORTELA, L.F. Estresse psicossocial no trabalho e o padrão de consumo de álcool em offshore. Cadernos de Saúde Pública;33(6):e00116616. 2017 Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102311X2017000606001&script=sci_arttext