Main Article Content

Resumo

O acesso ao mercado de trabalho apresenta diversas discrepâncias a depender das características dos trabalhadores. Assim, o objetivo desse trabalho é analisar o efeito da cor/raça na probabilidade dos indivíduos estarem inseridos no mercado de trabalho formal. Como a cor/raça é uma característica sem relação com a produtividade, possíveis diferenças observadas sobre tal probabilidade podem estar relacionadas a discriminação. Para a consecução do estudo, foram estimados modelos de escolha qualitativa Probit, avaliados a partir da curva ROC, sendo posteriormente elaborados diferentes Cenários para homens e mulheres sobre a probabilidade dos mesmos trabalharem formalmente mediante suas características.  A base de dados utilizada correspondeu aos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2015. Os resultados demonstram que existem diferenças no acesso ao mercado de trabalho formal entre indivíduos brancos e não brancos tanto para homens quanto para mulheres. Esses resultados apontam para a necessidade de elaboração de políticas públicas que reduzam as disparidades verificadas a partir da cor/raça dos indivíduos.


 

Palavras-chave

Desigualdade racial mercado de trabalho formal probit

Article Details

Como Citar
Silva, L. A., Faria, A. C. L. de, & Teixeira, E. C. (2021). Desigualdade racial no mercado de trabalho formal brasileiro . Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 11(30), 51-67. https://doi.org/10.25242/8876113020212029

Referências

  1. ABRAM, Laís. Desigualdades de gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro. Ciência e cultura, v. 58, n. 4, p. 40-41, 2006.
  2. AIGNER, Dennis J.; CAIN, Glen G. Statistical theories of discrimination in labor markets. ILR Review, v. 30, n. 2, p. 175-187, 1977..
  3. ANTUNES, Ricardo. Os modos de ser da informalidade: rumo a uma nova era da precarização estrutural do trabalho?. Serviço Social & Sociedade, n. 107, p. 405-419, 2011.
  4. BARBOSA, Ana Luiza Neves de Holanda. Participação feminina no mercado de trabalho brasileiro. 2014.
  5. BARROS, Ricardo Paes de et al. Inserção no mercado de trabalho: diferenças por sexo e consequências sobre o bem-estar. 2001.
  6. BASTIDE, Roger; FERNANDES, Florestan. Relações raciais entre negros e brancos em São Paulo: ensaio sociológico as origens, as manifestações e os efeitos do preconceito de cor no município de São Paulo. 1955.
  7. BECKER, Gary S. The economics of discrimination (chicago: University of chicago). 1957.
  8. BEGGS, John J. The institutional environment: Implications for race and gender inequality in the US labor market. American Sociological Review, p. 612-633, 1995.
  9. BLANCHARD, Olivier. Macroeconomia. 5ª edição. 2011.
  10. BOBBIO, Norberto. MATTEUCCI, Nicola e PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. Brasília: UNB, 9º edição, 1998.
  11. BRAGA, A. Curva ROC: Aspectos fundamentais e Avaliação. Braga: Tese de Doutoramento, Universidade do Minho, 2000.
  12. CACCIAMALI, Maria Cristina; HIRATA, Guilherme Issamu. A influência da raça e do gênero nas oportunidades de obtenção de renda-uma análise da discriminação em mercados de trabalho distintos: Bahia e São Paulo. Estudos Econômicos (São Paulo), v. 35, n. 4, p. 767-795, 2005.
  13. CAMERON, Adrian Colin; TRIVEDI, Pravin K. Microeconometrics using stata. College Station, TX: Stata press, 2010.
  14. CAMPANTE, Filipe R.; CRESPO, Anna RV; LEITE, Phillippe GPG. Desigualdade salarial entre raças no mercado de trabalho urbano brasileiro: aspectos regionais. Revista Brasileira de Economia, v. 58, n. 2, p. 185-210, 2004.
  15. CIRINO, Jader Fernandes; DALBERTO, Cassiano Ricardo. Trabalhadores formais versus informais: diferenças de rendimento para a região metropolitana de Belo Horizonte. Perspectiva Econômica, v. 11, n. 2, p. 81-94, 2015.
  16. CIRINO, Jader Fernandes; LIMA, João Eustáquio. Determinantes dos rendimentos no mercado de trabalho nacional: Uma comparação entre os gêneros e entre as Regiões Metropolitanas de Belo Horizonte e Salvador. Revista Nexos Econômicos, v. 5, n. 2, p. 107-136, 2011.
  17. COUTINHO, Maria Luiza Pinheiro. Discriminação no trabalho: mecanismos de combate à discriminação e promoção de igualdade de oportunidades. Igualdade Racial: Principais Resultados. Brasília: OIT-Secretaria Internacional do Trabalho, 2006.
  18. DA ROCHA, Antônio Ricardo Freislebem; DE CASTRO, Magnus William; DO SETOR PÚBLICO, Coordenador de Economia. ANÁLISE DA OCUPAÇÃO FORMAL X INFORMAL, SEGUNDO CARACTERÍSTICAS PESSOAIS: Espírito Santo–2001.
  19. DE SOUZA, Elvanio Costa; DE LIMA, João Eustáquio. Condição de ocupação e informalidade no mercado de trabalho brasileiro em 2007. Análise Econômica, v. 29, n. 56, 2011.
  20. FONTOURA, Natália de Oliveira; GONZALEZ, Roberto. Aumento da participação de mulheres no mercado de trabalho: mudança ou reprodução da desigualdade?. 2009.
  21. HENRIQUES, Ricardo. Desigualdade racial no Brasil: evolução das condições de vida na década de 90. 2001.
  22. HIRATA, Guilherme Issamu; MACHADO, Ana Flávia. Conceito de informalidade/formalidade e uma proposta de tipologia. 2007.
  23. HOFFMANN, Rodolfo. Desigualdade da renda e das despesas per capita no Brasil, em 2002-2003 e 2008-2009, e avaliação do grau de progressividade ou regressividade de parcelas da renda familiar. Economia e sociedade, v. 19, n. 3, p. 647-661, 2010.
  24. HUFFMAN, Matt L.; COHEN, Philip N. Racial wage inequality: Job segregation and devaluation across US labor markets. American Journal of Sociology, v. 109, n. 4, p. 902-936, 2004.
  25. KASSOUF, Ana Lúcia. Retornos à escolaridade e ao treinamento nos setores urbano e rural do Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 35, n. 2, p. 59-76, 1997.
  26. KASSOUF, Ana Lúcia. O que conhecemos sobre o trabalho infantil?. Nova economia, v. 17, n. 2, p. 323-350, 2007.
  27. KRELING, Norma Herminia. O envelhecimento do trabalhador impõe novos desafios às políticas públicas. Anais, p. 1-21, 2016.
  28. LIMA, Shauana Bobadilha Rodrigues et al. A inserção feminina no mercado de trabalho: Uma abordagem regional. Pesquisa & Debate. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia Política., v. 28, n. 2 (52), p. 163-181, 2017.
  29. LINS, Leonardo Melo; ARBIX, G. Educação, qualificação, produtividade e crescimento econômico: a harmonia colocada em questão. IPEA: Anais do I Circulo de Debates Acadêmicos, 2011.
  30. LOUREIRO, Paulo RA. Uma resenha teórica e empírica sobre economia da discriminação. Revista Brasileira de Economia, v. 57, n. 1, p. 125-157, 2003.
  31. MCCALL, Leslie. Sources of racial wage inequality in metropolitan labor markets: Racial, ethnic, and gender differences. American Sociological Review, p. 520-541, 2001.
  32. MINCER, Jacob. Schooling, Experience, and Earnings. Human Behavior & Social Institutions No. 2. 1974.
  33. DO MONTE, Paulo Aguiar; GONÇALVES, Michelle Ferreira. A inserção ocupacional e os determinantes salariais das mulheres no mercado de trabalho. Anais, p. 1-20, 2016.
  34. PRONI, Marcelo Weishaupt. Trabalho decente e vulnerabilidade ocupacional no Brasil. Economia e Sociedade, v. 22, n. 3, p. 825-854, 2013.
  35. PRONI, MARCELO WEISHAUPT; GOMES, DARCILENE CLAUDIO. Precariedade ocupacional: uma questão de gênero e raça. Estudos Avançados, v. 29, n. 85, p. 137-151, 2015.
  36. OIT. Declaração da OIT sobre os princípios e direitos fundamentais no trabalho e seu segmento. Brasília: OIT, 2001.
  37. OLSON, Steve. A História da Humanidade. São Paulo: Editor Campus, 2003.
  38. RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro. São Paulo: Companhia das Letra, 2001.
  39. ROCHA JUNIOR, Adauto Brasilino; CASSUCE, Francisco Carlos da Cunha; CIRINO, Jader Fernandes. Determinantes do uso do crédito rural do Pronaf em 2014. Revista de Política Agrícola, v. 26, n. 2, p. 100-114, 2017.
  40. ROMER, Paul M. Endogenous technological change. Journal of political Economy, v. 98, n. 5, Part 2, p. S71-S102, 1990.[Links]
  41. SMITH, Adam. A riqueza das nações investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Abril Cultural, 1983.
  42. SOARES, Sergei Suarez Dillon. Perfil da discriminação no mercado de trabalho: homens negros, mulheres brancas e mulheres negras. 2000.
  43. SOUTO MAIOR, Jorge Luiz. O direito do trabalho e as diversas formas de discriminação. O direito do trabalho e as diversas formas de discriminação, 2002.
  44. WOOLDRIDGE, Jeffrey M. Introdução à econometria: uma abordagem moderna; tradução Rogério César de Souza, José Antônio Ferreira, revisão técnica Nelson Carvalheiro. São Paulo: Cengage Learning, 2008.