Main Article Content

Resumo

A intenção desta pesquisa é o de apresentar a avaliação do perfil das informações sobre drogadição veiculadas na Revista VEJA, tentando compreender a forma de produção de subjetividades nas mesmas. Analisou-se todas revistas VEJA publicadas nos últimos três anos, compreendendo as edições de janeiro de 2016 até julho de 2019. Era fundamental que a matéria publicada apresentasse informações de qualquer tipo sobre drogas, drogadição ou estudos envolvendo substâncias químicas ilícitas. Quanto as drogas lícitas, à exceção de matérias sobre álcool e tabaco, manteve-se na amostra somente os estudos que associavam as substâncias à uma realidade de dependência. Ao final da aplicação destes filtros, vinte e oito matérias foram localizadas, lidas na íntegra e organizadas numa tabela contendo a data e a edição da revista, o título da matéria e a ideia central apresentada. Desenvolveu-se uma análise de cada uma das matérias associadas aos analisadores. Foi possível confirmar a ideia de uma imagem negativa do uso de substâncias químicas no imaginário social.  Destaca-se o fato de que as publicações sobre as celebridades em sua relação com as drogas ganham maior proeminência do que matérias sobre prevenção ou tratamento. As menções ao cigarro eletrônico expressavam tanto benefícios do uso por um viés de redução de danos, quanto os malefícios do uso e a possibilidade de desenvolvimento de novas adicções. Todavia a completa inexistência de matérias sobre as diversas modalidades de tratamento e reabilitação do sujeito drogadicto, pode indicar, ainda que não exclusivamente, uma negligência deste importante veículo de informação.

Palavras-chave

Dependência química Mídia Adiccção Informação

Article Details

Como Citar
Ribeiro-Andrade, E. H., Alberico, G. F. A., Silva, P. H. de A., & Freitas, M. G. M. de. (2021). Drogadição: o que lemos na revista? . Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 11(30), 68-85. https://doi.org/10.25242/8876113020212077

Referências

  1. BARDIN, L. Análise de conteúdo. 6. ed. Portugal: Almedina., 2011. 47p
  2. GOMES, E. F., BARROS, S.E.O. Impacto e a influência da mídia sobre a produção da subjetividade. In: XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOLOGIA SOCIAL,447, Maceió, Anais. 2014. p.2.
  3. JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 17- 44.
  4. MACEDO, J. Q. et al., Concepções e vivências de estudantes quanto ao envolvimento com substâncias psicoativas em uma escola pública de Ribeirão Preto. Ciencia y enfermeria., v. 20, n. 3, p. 97-107, dez. 2014.
  5. MATOS, A. M. et.al, Consumo frequente de bebidas alcóolicas por adolescentes escolares: estudo de fatores associados. Revista Brasileira Epidemiologia. v.13 n. 2 p. 302-313, jun. 2010. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/rbepid/v13n2/12.pdf
  6. MENDES, R.M.; MISKULIN, R.G.S. A análise de conteúdo como uma metodologia. Cadernos de Pesquisa v.47 n.165 p.1044-1066 jul./set. 2017 . Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v47n165/1980-5314-cp-47-165-01044.pdf
  7. MOREIRA, J. O. Mídia e Psicologia: considerações sobre a influência da internet na subjetividade. Psicologia para América Latina, n. 20, 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2010000200009
  8. MOTTA, L. G. Notícias do fantástico: jogos de linguagem e efeitos de sentido na comunicação jornalística. Verso e Reverso Revista da Comunicação v. 19, n. 42, 2006. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/versoereverso/article/view/7282
  9. NOTO, A. R. et al. Drogas e saúde na imprensa brasileira: uma análise de artigos publicados em jornais e revistas. Caderno Saúde Pública, v. 19, n. 1, p. 69-79, fev. 2003. Disponivel em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v19n1/14906.pdf
  10. PEDROSA, A.A. da S. et al. Consumo de álcool entre estudantes universitários. Caderno Saúde Pública, v. 27, n. 8, p. 1611-1621, Ago. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v27n8/16.pdf
  11. QUIVY, R.; CAMPENHOUDT, L.V. Manual de Investigação em Ciências Sociais. 4. ed. Lisboa: Gradativa, 2005. 276p.
  12. RIBEIRO-ANDRADE, E.H.; BARRETO, M.F.T.B; CHAGAS, V.S. Por um Sorriso sem Driogas: A Relalidade da Rede de Apoio em Campos dos Goytacazes. Pespectivas Online: Humanas e Sociais Aplicadas, v. 7, n. 19, p. 54-64, 2017. Disponível em: https://ojs3.perspectivasonline.com.br/humanas_sociais_e_aplicadas/article/view/1178/877
  13. RIBEIRO-ANDRADE, E.H.; BARRETO, M.F.T.B; MOTA, M.L.;TERRA, M.L.G. Dependência Química e Gênero: Uma Leitura da Experiência Feminina na Drogadição. Perspectivas Online: Humanas e Sociais Aplicadas, v. 16, n.06, p. 69-76, 2016. Disponível em: https://ojs3.perspectivasonline.com.br/humanas_sociais_e_aplicadas/article/view/1044/797
  14. RODRIGUES, D.R.S.R; CONCEIÇÃO, M.I.G; IUNES, A.L.S. Representações Sociais do Crack na Mídia. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v.31, n. 1; p. 115-123, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ptp/v31n1/0102-3772-ptp-31-01-0115.pdf
  15. ROSÁRIO, R. BAYER, D.A. (2014) A formação de uma sociedade do medo através de uma influência da mídia. Matéria publicada na Home Page Justificando, Sexta-feira, 12 de dezembro de 2014. Link http://www.justificando.com/2014/12/12/a-formacao-de-uma-sociedade-do-medo-atraves-da-influencia-da-midia
  16. SILVEIRA, M. D. P. Efeitos da globalização e da sociedade em rede via Internet na formação de identidades contemporâneas. Psicologia Ciência Profissão, v. 24, n. 4, p. 42-51, Dez.2004. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pcp/v24n4/v24n4a06.pdf
  17. SIMONEAU, A. S., OLIVEIRA, D. C. Representações sociais e meios de comunicação: Produção do conhecimento científico em periódicos brasileiros. Psicologia e Saber Social página v. 3, n. 2, p.281-300, 2014. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/316493533/Representacoes-sociais-e-meios-de-comunicacao-producao-do-conhecimento-cientifico-em-periodicos-brasileiros
  18. THOMPSON, J. B. Ideologia e Cultura Moderna - teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. 9. ed. Petrópolis: Editora Vozes. 2007. 432p.
  19. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2466, ano 49, n°8, 24/02/2016.
  20. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2467, ano 49, nº9, 12/04/2016.
  21. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2468, ano 49, n°10, 09/03/2016.
  22. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2471, ano 49, nº 13, 30/04/2016.
  23. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2473, ano 49, nº15, 13/04/2016.
  24. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2476, ano 49, n°18, 04/05/2016.
  25. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2477, ano 49, n°19, 11/05/2016.
  26. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2506, ano 49, n°48, 30/11/2016.
  27. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2509, ano 49, n° 51,21/12/2016.
  28. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2514, ano 50, n° 4, 25/01/2017.
  29. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2520, ano 50, n° 10,08/03/2017.
  30. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2531, ano 50, n° 21,24/05/2017.
  31. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2533, ano 50, n°23,07/07/2017.
  32. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2593, ano 51, n°31, 01/08/2018.
  33. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2595, ano 51, nº 33,15/08/2018.
  34. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2596, ano 51, n°34,22/08/2018.
  35. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2605, ano 51, n° 43,24/10/2019.
  36. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2613, ano 51, n°51,19/12/2018.
  37. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2629, ano 52, nº15,10/04/2019.
  38. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2630, ano 52, n°16,17/04/2019.
  39. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2635, ano 52, n°21,22/05/2019.
  40. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2638, ano 52, n°24,12/06/2019.
  41. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2639, ano 52, n° 25,19/06/2019.
  42. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2640, ano 52, nº 26,26/06/2019.
  43. VEJA. São Paulo: Abril, edição 2641, ano 52, n° 27,03/07/2019.