Main Article Content

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo identificar e caracterizar o uso e a representação conceitual mediada por signos que fazem referência à cotonicultura dentro de peças e artefatos provindos da cultura material do Seridó do Rio Grande do Norte. A fase do plantio do algodão no âmbito local representou grande avanço econômico, social e cultura, tornando-se um signo de grande valor para os habitantes da região. Com isso, percebeu-se que diversos artefatos locais continham representações simbólicas do algodão em sua configuração visual. Para tanto, elaborou-se uma pesquisa analítica, de base histórica e documental, traçando como princípio de pertinência os conceitos de sintática, semântica e pragmática, provindos da semiótica do design. Como resultado, identificou-se uma participação dos signos da cotonicultura em artefatos festivos, como o vestuário do concurso Rainha do Algodão e em peças gráficas, nas bandeiras e brasões dos municípios do Seridó do Rio Grande do Norte. A relevância do trabalho para a região se encontra na valorização do discurso local. Como conclusão, observou-se que é possível trazer à tona referências de contextos históricos regionais, valorizando a identidade local e transpondo essas informações para artefatos da cultura material.


 

Palavras-chave

Semiótica Design Comunicação Território Seridó

Article Details

Biografia do Autor

Ítalo José de Medeiros Dantas, Universidade Federal de Campina Grande

Mestrando em Design pela Universidade Federal de Campina Grande, Especialista em Comunicação, Semiótica e Linguagens Visuais e Designer de Moda pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Campus Caicó. Membro dos grupos de pesquisas nacionais: Núcleo de Pesquisas em Têxtil e Vestuário (IFRN), Núcleo de Pesquisa em Informação, Linguagens e Usabilidade (UFCG) e Grupo de Estudo da Cor (UFCG). Bem como também é membro de grupos de pesquisas internacionais vinculados à temática da cor, como: Language of Color e Environmental Colour Design, ambos da International Color Association (AIC).

Alan Jones Lira de Melo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Rio Grande do Norte, dos Cursos Técnicos em Vestuário e Têxtil e CST em Design de Moda. Graduado em Engenharia Têxtil pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás pela UNP - RN, Mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Especialização em Design de Moda pelo CETIQT - RJ.

Maria Lindelene da Silva Bessa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Graduanda em Design de Moda pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Campus Caicó.

Edna Maria de Melo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Graduanda em Design de Moda pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Campus Caicó.

Como Citar
Dantas, Ítalo J. de M., Melo, A. J. L. de, Bessa, M. L. da S., & Melo, E. M. de. (2021). Os Atributos Estético-Simbólicos da Cultura Material da Cotonicultura do Seridó/RN. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 11(31), 46-63. https://doi.org/10.25242/8876113120212288

Referências

  1. ALVES, C. F.; PÉPECE, O. M. C. Moda para a vida real: significados simbólicos das roupas de fast fashion. In: Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda, 1., 2014. Anais... 10. Colóquio de Moda, 2014.
  2. ANDRADE, R. G. O trabalho de arte e de grupos com jovens no Centro Cultural Cartola - comunidade da Mangueira RJ. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, v. 5, n. 2, p. 29-34, 2012. Disponível em: ojs3.perspectivasonline.com.br/humanas_sociais_e_aplicadas/article/view/66. Acesso em 08 mar. 2021.
  3. ANDRZEJEWSKI, L. A moda como despertar da memória. Memórias e museus. São Paulo: Estação das Letras e Cores, p. 89-98, 2015.
  4. AZEVEDO, F. F. Entre a cultura e política: uma Geografia dos "currais" no sertão do Seridó Potiguar. 32 f. 2007. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2007.
  5. AZEVEDO, J. M. Culinária do Seridó: um elemento da identidade territorial. 130 f. 2011. Dissertação (Mestrado em História) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2011.
  6. BÜRDEK, B. E. Design: História, Teoria e Prática do Design de Produtos. Tradução de Freddy Van Camp. 2. ed. São Paulo: Blucher, 2010.
  7. CORÁ, J. M. A. Do material ao imaterial: patrimônios culturais do Brasil. São Paulo: EDUC/FAPESP, 2014.
  8. FIERN. Indústria do Boné mostra empreendedorismo do Seridó Na FENECITI. 2019. Disponível em: . Acesso em 31 jun. 2019.
  9. GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2002.
  10. GOES, T. J. M. Noções de geografia e história do município de Cruzeta. 1ª Reimpressão. Brasília, 2017 [1971].
  11. KRUCKEN, L. Design e território: valorização de identidades e produtos locais. São Paulo: Studio Nobel, 2009.
  12. KRUCKEN, L.; OLIVEIRA, P. M.; SILVA, E. B.; IBARRA, M. C.; SILVA, A. C. M.; LUIZ, D.; BELLARDI, R. Design e território: estudo de iniciativas de valorização da cultura gastronômica. In: Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 11., 2014. Anais... Blucher Design Proceedings, 11. P&D, n. 4, v. 1, 2014.
  13. LOBACH, B. Design industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blucher, 2001.
  14. MACEDO, H. A. M. Outras famílias do Seridó: genealogias mestiças no Sertão do Rio Grande do Norte (Séculos XIII-XIX). 360 f. 2013. Tese (Doutorado em História) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2013.
  15. MAIA NETO, G. A. Patrimônio cultural brasileiro: saída ou exportação de obra de arte. Jus.com.br. 2013. Disponível em: jus.com.br/artigos/26237/patrimonio-cultural-brasileiro-saida-ou-exportacao-de-obra-de-arte. Acesso em 02 ago. 2020.
  16. MARTINS, G.; LEITE, L.; REBOUÇAS, R.; NICOLAU, V. Levantamento Iconográfico do município de Cabedelo – PB nas Mídias Digitais: uma contribuição do design gráfico para a identificação e a valorização cultural local. In: Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste, 14., Recife, 2012. Anais... Intercom, Recife, 2012.
  17. MORAIS, I. R. D. Seridó Norte-Rio-Grandense: reestruturação e planejamento regional. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, 11., 2009, Bahia. Anais... XI ANPUR, Bahia, 2005.
  18. NIEMEYER, L. Elementos da semiótica aplicados ao design. [S.l.]: 2AB,2003.
  19. SANCHES, M. C. F. O Projeto Do Intangível Na Formação De Designers De Moda: repensando as estratégias metodológicas para a sintaxe da forma na prática projetual. 2016. 268 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.
  20. SANTAELLA, L. Semiótica aplicada. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.
  21. SANTAELLA, L. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2005.
  22. SILVA, V. N. As identidades das nativas da praia de Canoa Quebrada, Aracati – CE. Revista Temática, v. 16, n. 11, p. 248-261, 2020. Disponível em: periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/tematica/article/view/56217. Acesso em 25 nov. 2020.
  23. SILVEIRA, N. B. M. Morfologia do objeto: uma abordagem da gramática visual/forma aplicada ao design de artefatos materiais tridimensionais. 2018. 171 f. Tese (Doutorado) - Centro de Artes e Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2018.
  24. SILVEIRA, P. C. A. Etnotopografia aplicada em praças: algumas ferramentas para ler a cidade em arquitetura e urbanismo. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, v. 10, n. 27, p. 1-21, 2020. Disponível em: ojs3.perspectivasonline.com.br/humanas_sociais_e_aplicadas/article/view/1755. Acesso em 08 mar. 2021.
  25. TELLES, M. F. P. Patrimônio cultural material e imaterial - dicotomia e reflexos na aplicação do tombamento e do registro. Políticas Culturais em Revista, v. 2, n. 3, p. 121-137. Disponível em: cienciasmedicasbiologicas.ufba.br/index.php/pculturais/article/view/5014/3643. Acesso em 02 ago. 2020.
  26. TROELSEN, J. B. T. L. Brasões da UFBA: estudo da informação em uma abordagem semiótica. 207 p. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal da Bahia, Instituto de Ciência da Informação. Salvador, 2009.