Main Article Content

Resumo

A pesquisa de clima organizacional é uma importante ferramenta estratégica que deve ser utilizada para demonstrar a percepção do colaborador acerca do ambiente organizacional. Ao visitar os barracões das escolas de samba manauaras percebe-se um local distinto, onde trabalhadores produzem os desfiles de carnaval da cidade. Desta forma, este estudo buscou analisar o clima organizacional em um barracão de uma escola de samba do grupo especial da cidade de Manaus-AM, sob a perspectiva dos profissionais que atuam no local. Para o alcance do objetivo os colaboradores participaram de uma entrevista guiada por um questionário adaptado de Martins (2008). A quantificação dos dados ocorreu através da plataforma Google Forms e os resultados apontam que a coesão que existe entre os colegas é fundamental para manter um bom clima organizacional na organização, porém o fator conforto físico é visto como insatisfatório para os participantes. Já os resultados dos fatores apoio da chefia e da organização, recompensa e controle/pressão não obtiveram média para serem classificados como bons ou ruins para o clima, mas nestes fatores são detectados problemas que devem ser trabalhados pelos gestores e venham somar positivamente com o ambiente organizacional.

Palavras-chave

Clima organizacional Pesquisa de clima Barracões de Escolas de samba

Article Details

Como Citar
Carvalho, E. de S., da Silva, F. M. V., & Uchôa, A. G. F. (2021). Estudo sobre o clima organizacional na perspectiva dos profissionais que atuam em uma escola de samba de manaus-AM. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 11(33), 76-96. https://doi.org/10.25242/8876113320212317

Referências

  1. ABREU, N. R.; et al. Comunicação e os fatores externos intervenientes no clima organizacional em um Hospital Universitário. Qualitas Revista Eletrônica, v. 14, n. 1, 2013.
  2. BABBIE, Earl. Métodos de pesquisas de Survey. 3a reimpressão. Tradução de Guilherme Cezarino. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.
  3. BARBIERI, R. J. O. As escolas de samba e a cidade de Manaus (AM): construindo uma proposta de pesquisa etnográfica. Somanlu, v. 11, p. 81 - 94, 2011.
  4. BARBIERI, R. J. O. As escolas de samba em Manaus (AM): carnaval, sociabilidade e performance. In: Reunião Brasileira de Antropologia, 31 ed. Anais... 31ª RBA, ISBN: 978-85-87942-61-6, Brasília, 2018.
  5. BARBIERI, R. J. O. Para brilhar na Sapucaí: hierarquia e liminaridade entre as escolas de samba. Textos escolhidos de cultura e arte populares. Rio de Janeiro, v.7, n.2, p. 183-198, nov. 2010.
  6. BISPO, C. A. F. Um novo modelo de pesquisa organizacional. Revista Produção, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 258-273, maio/ago. de 2006.
  7. BLASS, L. M. S. Trabalho no barracão, desfile na avenida: a dupla face do carnaval. Oficina do CES, n. 129, p. 1-16, 1998.
  8. CODA, R.; SILVA, D. da; CUSTODIO, I. Multidimensional configurations of the organizational climate constructo. The International Journal of Human Resource Management, v. 26, n. 14, p. 1827-1847, 2015.
  9. CORRÊA, M. G. M.A Influência do clima organizacional na cultura de aprendizagem de gestores públicos. Desafio Online, v. 6, n. 2, p. 181-213, 2018.
  10. CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
  11. CURVO, L. D.; HEINZMANN, L. M. Estudo do Clima Organizacional da Secretaria de Gestão de Pessoas de uma Universidade Federal. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, v. 4, n. 2, p. 1-18, 2017.
  12. DIAS, S. M. O. Fatores de pressão no trabalho e comprometimento com a carreira: um estudo com profissionais de Tecnologia da Informação (TI). 2008. Dissertação (Mestrado em administração – Faculdade de Ciências Econômicas). Universidade FUMEC, Belo Horizonte.
  13. FARIA, A. S. et al. Percepção do clima organizacional em uma empresa de telefonia: um estudo de caso. Vianna Sapiens, Juiz de Fora, v. 4, n. 1, p. 148-174,148-174, jan./jun. de 2013.
  14. FERREIRA, F. Escolas de samba: uma organização possível. Revista Sistema & Gestão, v. 7, n. 2, p. 164-172, 2012.
  15. GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
  16. GLISSON, C. et al. Assessing the Organizational Social Context (OSC) of Mental Health Services: Implications for Research and Practice. Administration Mental Health, New York, 35, 98–113, 2008.
  17. GOLDWASSER, M. J. O palácio do samba: estudo antropológico da escola de samba Estação Primeira de Mangueira. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.
  18. GRIFFITH, J. A compositional analysis of the organizational climate-performance relation: public schools as organizations. Journal of Applied Social Psychology, v.35, n.8, p. 1840-1880, agu. 2006.
  19. HORA, G.P.R.; RIBAS JÚNIOR, R. SOUZA, M. A. Estado da arte das medidas em satisfação
  20. no trabalho: uma revisão sistemática. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 26, n. 2, p. 971-986, abri. / jun. 2018.
  21. HSU, M. L. A.; CHEN, F.H. The cross-level mediating effect of psychological capital on the organizational innovation climate–employee innovative behavior relationship. Journal of Creative Behavior, v. 51, n. 2, p. 128-139, 2017.
  22. JING, F. F.; AVERY, G.C.; BERSTEINEIR, H. Organizational climate and performance in retail pharmacies. Leadership & Organization Development Journal, n. 3, v. 32, p. 224-242, 2011.
  23. KJELDSEN, A.M.; HANSEN, J.R. Sector differences in the public service motivation- job satisfaction relationship: exploring the role organizational characteristics. Review of Public Personnel Administration, v. 38, n. 1, p. 24-48, fev. 2016.
  24. LEITE, C. E.; CORTEZ, B. R.; MARINHO, C. J. M.; MATSUMOTO, A. A influência do clima organizacional na satisfação dos colaboradores de uma concessionária de veículos seminovos no Distrito Federal. XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: http://www.inovarse.org/sites/default/files/T16_175.pdf. Acesso em 8 nov. 2020.
  25. LOPES, Carla Alves; MALAIA, Maria Cecília Bezerra Tavares; VINHAIS, José Carlos. Administração em escolas de samba: os bastidores do sucesso do carnaval carioca. In: VI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2009, Resende. Anais..., Resende: Associação Educacional Dom Bosco, 2009.
  26. LUZ, R. S. Gestão do clima organizacional: proposta de critérios para metodologia de diagnóstico, mensuração e melhoria. Estudo de caso em organizações nacionais e multinacionais localizadas na cidade do Rio de Janeiro. 2003. 182p. Dissertação (Mestrado em Sistemas de Gestão) LATEC, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2003.
  27. MAAMARI, B. E.; MAJDALANI, J.F. Emotional intelligence, leadership style and organizational climate. International Journal of Organizational Analysis, v. 25, n. 2, p. 327-345, 2017.
  28. MALIK, M. E.; DANISH, R.; USMAN, A. Impact of job climate and extrinsic rewards on job satisfaction of banking executives: A case of Pakistan. Interdisciplinary Journal of Contemporary Research in Business, v, 12, p. 125–139, 2010.
  29. MARTINS, M. C. F. Clima organizacional. In: SIQUEIRA, M. M. (org). Medidas de comportamento organizacional. Porto Alegre: Artmed, 2008.
  30. MENEZES, I. G; GOMES, A. C. P. Clima organizacional: uma revisão histórica do construto. Revista Psicologia, 2010, v. 16, n.1, p. 158-179, 2010.
  31. OLIVEIRA, D.; CARVALHO, R. J.; ROSA, A. C. M. Clima organizacional: fator de satisfação no trabalho e resultados eficazes na organização. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 9.,2012, Resende. Anais... Resende: s.n., 2012.
  32. POTRICH, A. C. G. et al. Clima organizacional: um estudo quantitativo em uma empresa de Santa Maria-RS. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 32., 2012, Bento Gonçalves. Anais eletrônicos... Bento Gonçalves, 2012. Disponível em: http://www.abepro.org.br/publicacoes/index.asp?pesq=ok&ano=2012&area=&pchave=&autor=Ani+Caroline+G.+Potrich. Acesso em 8 nov. 2020.
  33. QUEIROZ, F. L. V.; CORREIA, A. M. M.; OLIVEIRA, R. M. A.; SILVA, A. M.; SOUSA, J. P. Qualidade de Vida no Trabalho (QVT): Estudo Comparativo em Três 'Campi' de uma Instituição Federal de Ensino no Rio Grande do Norte/RN. Revista de Administração da Unimep, v. 17, n. 1, p. 1-33, 2019.
  34. RIZZATTI, G. Categorias de análise de clima organizacional em universidades federais brasileiras. 2002. 307 f. Tese (Doutorado) – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.
  35. REIS NETO, M. T. A remuneração variável na percepção dos empregados e suas consequências na motivação e no desempenho. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ADMINSITRAÇÃO, 30, 2006, Salvador. Anais... Salvador, 2006.
  36. SCHNEIDER, B. Organizational climates: an essay. Personnel Psychology, n. 28, p. 447-479. dec. 1975.
  37. ROCHA, A. C.; CERETTA, G. F.; LIMA, J. ?. Clima organizacional em hospital: um estudo no Sudoeste do Paraná. Reuna, v. 19, n. 2, p. 71-90, 2014.
  38. ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
  39. SANTOS, J. N.; NEIVA, E. R. Relação entre clima organizacional, percepção de mudança organizacional e satisfação do cliente. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, Jan./Mar. v. 29, n. 1, p. 31-39, 2013.
  40. SANTOS, A. M. et al. Mapeamento do clima organizacional em instituição de educação superior. Revista Gestão Universitária na América Latina – GUAL, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 177-197, jan. 2016.
  41. SILVA, F. D.; SILVA, E. R.; BERGAMINI, G. B. O clima organizacional como fator para o desempenho profissional. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v. 9, n. 2, p. 745-749, 2018.
  42. SOUZA SANTOS, P. V. Diagnóstico do clima organizacional: um estudo de caso em uma empresa de serviços. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, v. 9, n. 25, 31 ago. 2019.
  43. STECCA, J. P. et al. Diagnóstico de clima organizacional em uma cooperativa de crédito. Revista Gesto, v. 4, n. 1, p. 43-53, jan./jun. 2016.
  44. STRINGER, R. A. Leadership and organizational climate: the cloud chamber effect. New Jersey: Prentice Hall, Upper Saddler, 2002.
  45. TURETA, C.; ARAUJO, B. F. V. B. Escolas de Samba: trajetória, contradições e contribuições para os estudos organizacionais. Organizações & Sociedade, v. 20, n. 64, p. 111-129, 2013.
  46. WALLACE, J. C. et al. Change the referent? A meta-analytic investigation of direct and referent-shift consensus models for organizational climate. Journal of Management, v. 42, n. 4, p. 838-861, 2016.