Main Article Content

Resumo

O aumento da longevidade e do envelhecimento gradativo e acelerado da população mundial são tendências que colocam em evidência a necessidade de atenção às peculiaridades inerentes ao cidadão idoso. O retorno ou permanência do idoso no mercado de trabalho, muitas vezes o condiciona a uma posição trabalhista marginal, ou seja, de aposentado ainda em atividade ou de trabalhador por conta própria, visto que, quando o idoso é absorvido pelo mercado formal, é comum que ele aceite salários reduzidos e sem registros trabalhistas, fato que justifica a opção de muitos trabalhadores idosos atuarem por conta própria na informalidade. Por outro lado, as melhores oportunidades de manter o emprego após a aposentadoria ou o reingresso ao mercado de trabalho pertencem aos idosos mais qualificados, com índice de escolaridade mais alta e, sobretudo, aos que não exercem atividades laborais de cunho manual. Desta forma o objetivo da presente pesquisa se dá em analisar a dinâmica de atuação do idoso no mercado de trabalho formal, a partir da perspectiva do nível de escolaridade. Para tanto os procedimentos metodológicos utilizados na realização da pesquisa serão de abordagem qualitativa quantitativa, do ponto vista dos objetivos se apresenta como uma pesquisa exploratória e descritiva, como procedimentos técnicos se apresenta como bibliográfica, a partir da coleta de dados da PNAD Contínua, no período entre os anos 2012 e 2020. O presente estudo espera compreender os diferentes aspectos dos idosos inseridos no mercado de trabalho brasileiro, além de levantar dados teóricos que possam vir a permitir a formulação de propostas de políticas públicas e a participação da iniciativa pública e privada em projetos de inserção dos idosos no mercado de trabalho.

Palavras-chave

Educação Oportunidade de Trabalho Idoso

Article Details

Como Citar
da Cunha Soares Neto, M. A., & Batista Silva, C. (2021). Atuação do idoso no mercado de trabalho sob a perspectiva do nível de escolaridade. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, 11(32), 11-12. https://doi.org/10.25242/8876113220212364