Main Article Content

Resumo

Este artigo trata da questão de ocupação espontânea, especialmente as que ocorrem pela invasão de áreas,
públicas e privadas, remanescente de loteamentos, ou nas suas proximidades, por iniciativa individual ou
coletiva. O mesmo mostra a cidade, desde quando fundada, até os dias de hoje. Fala dos primeiros
moradores, de como os invasores Europeus se estabeleceram e que já habitavam as margens dos rios e lagoas
de forma desordenada, transformando em área de risco ambiental. Campos é uma cidade com uma história
significativa, neste sentido, é importante frisar a necessidade de preservar a história da evolução seguido da
ocupação espontânea. E o principal intuito deste artigo foi divulgar a história da evolução da cidade para
pessoas interessadas em conhecer o passado e suas riquezas. Ao observar informações do crescimento
urbano, é possível notar que a questão da população morar em lugares de risco, sempre ocorreu. O que não
quer dizer, que não seja possível mudar essa realidade, com vontade política.

Article Details

Biografia do Autor

Tatiane Teixeira de Melo

  
Graduanda em Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo/ISECENSA/RJ

Como Citar
de Melo, T. T., & Araújo, R. de S. (2014). PROCESSO URBANO E OCUPAÇÃO ESPONTÂNEA: CAMPOS DOS GOYTACAZES. Humanas & Sociais Aplicadas, 4(9). https://doi.org/10.25242/8876492014537