Main Article Content

Resumo

Estudo com o objetivo de investigar as práticas de responsabilidade social em uma instituição de ensino superior através de projetos gerados por meio de situações-problema enfrentadas pela comunidade. Trata-se de uma nova política de gestão nas organizações, minimizando os impactos e os efeitos que são gerados diariamente dentro e fora da instituição, responsável esta pelas consequências sociais induzidas pela mesma operação da organização. Este novo modelo de gestão baseia-se em fins éticos, justos e sustentáveis de desenvolvimento social e tem o desejo de promover normas e regulamentações. Para tanto se pretende ressignificar alguns conceitos ligados à responsabilidade utilizando-se como aporte teórico as idéias de Subirats, Vallaeys, Jiménez de La Jara e Calderón (2006). Esta pesquisa de cunho qualitativo - estudo de caso múltiplo - interpreta os projetos de Responsabilidade Social praticados nos Institutos Superiores de Ensino (ISECENSA – Campos dos Goytacazes /RJ – Brasil). Utiliza-se como amostra cinco projetos socioacadêmicos desenvolvidos no período de 2006 – 2008, em quatro cursos de graduação. É possível concluir que o afastamento do primeiro setor (organizações estatais) frente à responsabilidade social contribui para o avanço das ações do terceiro setor e as práticas de responsabilidade social tornam-se uma constante nas instituições, especialmente as privadas. Por conhecerem de perto a comunidade e seus projetos, as universidades podem dar respostas mais concretas aos problemas, respeitando as peculiaridades éticas e culturais de cada região. Os projetos socioacadêmicos desenvolvem nos alunos e na comunidade a autonomia, o exercício da cidadania, a qualidade de vida promovendo a geração de renda e uma relação de reciprocidade e enriquecimento mútuos entre seus alunos e a comunidade

Article Details

Como Citar
Berto, A. B. F. (2013). RESPONSABILIDADE SOCIAL UNIVERSITÁRIA: PRINCÍPIOS E VALORES EM PROL DO DESENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE. Humanas & Sociais Aplicadas, 3(6). https://doi.org/10.25242/887636201356